quinta-feira, 3 de maio de 2012

"Hi, my name is Martin Bohm, you don't know me. I know this is gonna sound crazy, but I think we should meet"



Yes Martin, it does sound crazy. Por causa de malucos como tu é que o mace spray foi inventado.
Uma série que podia ser tão porreira, praticamente reduzida ao Kiefer Sutherland a correr ofegante de um lado para o outro.
E depois não percebo o que aconteceu ao emprego dele no terminal de aeroporto. E irrita-me não perceber essas coisas. Se ele tem problemas financeiros, como se pode dar ao luxo de passar o dia atrás deste e daquele, a tentar perceber as fórmulas que vêm à cabeça do filho? E porquê? Com objectivo final é que ele o faz? Vai passar a vida toda naquela correria?!? Para tooooodo o sempre?? Eu é que devia ser  guionista. Eu!

Touch*

12 comentários:

Pics disse...

Esses pensamentos vieram-me à cabeça logo no 2º ou 3º episódio. Até estou a gostar da série, mais por causa das fórmulas do que outra coisa, mas realmente há muitos pormenores que parece que nem foram pensados.

Vic disse...

Já desisti de ver...

bee disse...

tive mais ou menos a mesma reacção. comecei a ver toda entusiasmada e ao fim do 2º episódio já não aguentei :P
mas é uma pena, porque a história prometia, e não abundam por aí séries com histórias interessantes...

disse...

não vejo melhor razão para passar a vida a correr, não ter objectivo final.

akombi disse...

leste-me os pensamentos, o inicio foi empolgante, até para a minha mais nova que montava a "barraca" leia-se colchão de campismo e mantas pq o sofá fica ocupado com o gordo do pai e da irmã, mas agora andamos a perder o entusiasmo de ver a série.

Xuxi disse...

nem nunca vi, a ideia e tolinha...pelos vistos ainda bem k nao perdi tempo com isso

Mak, o Mau disse...

O Tim Kring, que também o tipo que criou o Heroes, pelo menos nesse caso conseguiu uma primeira série consistente.

No caso do Touch, a premissa é interessante, mas depois quando a explicação para tudo é a causalidade tu consegues tornar o acaso mais improvável uma coisa coerente. E isso chateia-me...

E compreendo que o puto tenha de ser "especial", mas ali creio que exageram na dose. Vou vendo, mas cheira-me que não é para durar...

disse...

E os mil dólares para entrar numa casa de jogo? E sim, o Kiefer está sempre tão ofegante que até me sinto cansada só de o ouvir.

anouc disse...

Bê, também fiquei parva com essa dos 1000$ :D

Tresloucada disse...

Vi ontem essa dos mil dolares tb :) e a natalie que encontrou o principe encantado? ui, essa tb foi muito boa para quebrar corações! Confesso que gosto da série mas é verdade o q disseram e o mais notório é mesmo o trabalho dele que parece que desapareceu do mapa! Pode ser que ainda surpreenda, eu quero acreditar!

Beatriz disse...

Foram muito poucos os episódios que vi. Mas gostei bastante! Houve um que me pareceu um pouco forçado, mas de resto, achei interessante! Nunca tinha reparado que ele anda sempre a correr de um lado para o outro (e nisso tens toda razão), mas talvez isso nunca me tenha incomodado porque, confesso, fico verdadeiramente maravilhada ao pensar que, de facto, o mundo está cheio de padrões e fórmulas invisíveis aos nossos olhos :) beijinhos

Anónimo disse...

São as corridas e as mil e uma vezes que grita por "JAKE!" durante o episódio.