quinta-feira, 2 de setembro de 2010

Enganos acéfalos *viajar

... Achar que ir a um país qualquer, e enfiar-se num resort de luxo durante uma semana a marinar ao sol é viajar e conhecer o mundo. Não é, está bem? Viajar e conhecer o mundo faz-se de mochila às costas sem querer saber se o cinto combina com as botas, se o cabelo está bem arranjado ou se o verniz está lascado. Viajar implica comer moscas fritas em mel ou macaco grelhado e não enfiar-se no primeiro McDonald's ou ir beber um café ao Starbucks. Viajar não  é refilar por quase nenhum nativo saber falar inglês, mas sim aprender o máximo de palavras chave na língua nativa e amanhar-se sozinho.
Isso é que é viajar.

35 comentários:

Nês disse...

É verdade, passar as férias num hotel noutro país não é viajar :D

Jo disse...

Pois que concordo ctg.

Cat disse...

E quando se faz uma primeira grande viagem pelo mundo da Europa assim de mochila às costas, a dormir em combóios, a ter que comer com um sorriso uns pastéis esquisitos e amargos que é suposto ser uma iguaria na Áustria, com bolhas nos pés até sangrar, qual verniz qual quê...

O melhor que pode acontecer a qualquer miúda de 16 anos :)

Poetic GIRL disse...

Ora nem mais, ainda há quem tenha a ideia que para viajar tem que se apanhar um avião obrigatoriamente. Não concordo, viajar é muito mais do que isso. É chegarmos ao fim do dia com as pernas cansadas e a alma carregada de conhecimentos! beijoca

Masquediabo disse...

Quanto mais perigoso melhor!

Anne disse...

concordo completamente... =D

AC disse...

Pimba! Na mouche!

Hyndra disse...

Concordo TANTO contigo!
É andar e andar e andar, utilizar transportes públicos se os houver, perdermo-nos e encontrar sítios não muito frequentados e andar às aranhas porque ninguém nos compreende :D

S* disse...

Totalmente. É abertura de espírito às outras cultuas.

Lady Me disse...

Subscrevo!

Gonçalves, o abonado disse...

Ora, ora. Que mal tem conhecer o mundo de mochila às costas, mas com estilo?

Helena disse...

Eu nunca viajei. O mais longe que fui foi a Gare do Oriente, muahahahah! É uma tristeza portugal nem sequer ter uma chinatown decente para poder viajar de vez em quando.

Helena disse...

Ah! Posso tar xunga, como normalmente, mas verniz lascado é que não, pah!

pinguim disse...

Bravo.
Viajar contigo deve ser um prazer.

anouc disse...

Sr. Gonçalves, também não acho que ter estilo passe por andar com um cinto a combinar com as botas, cabelo bem arranjado e verniz irrepreensível. :p

Tulipa disse...

Eu tb tenho muito mais prazer em conhecer um sítio novo de "mochila às costas" e sem programa pré-definido. Descobrem-se lugares fantásticos e pessoas fantásticas dessa forma.

PP_FANTASMA disse...

Comigo, tem de ser sempre tudo a combinar:)

Cate disse...

Concordo!

Descalça disse...

Ora, nem mais! Não me venham dizer que conhecem a República Dominicana, Cuba e o México só por estiveram 10 dias de papo para o ar num pacote TI. Conhecem alguns bons hotéis, mas isso é outra conversa.

Sara sem Sobrenome disse...

Pois então acho que não gosto de viajar.

Maggy disse...

Desde o meu primeiro dia na faculdade estou a fazer um mealheiro (que recebe uma visita nova todas as semanas e não diariamente -.-) para a minha viagem de finalistas. Porque afinal ir com os meus caros colegas para a o México e ficar 8 dias presa num hotel a beber e de papo para o ar na praia não é muito o meu estilo.

Portanto, a ideia para já é ir (sozinha. gosto pouco de grafonolas nos meus momentos de contemplação) num comboio pela europa, com uma mochila (inha) ás costas, uma muda de roupa na mala e outra no corpo (convém!) umas latas de atum e... mapas! Ah... a combinar... só mesmo a cor dos dentes!

Lazy Cat disse...

Bolas, também vais e um extremo ao outro. Também não acho que ir para um resort seja grande coisa, mas eu gosto de viajar, no sentido em que gosto de ver sítios diferentes, gentes diferentes, hábitos diferentes... não gosto de aventuras, de comidas estranhas, e aflige-me bastante isso de não me fazer entender.

Não me importava de andar por aí, de café em café pela Europa fora a observar gentes. Mas não por muito tempo, a minha casinha faz-me falta.

Piston disse...

Clap.

Pronúncia disse...

Assino por baixo... com excepção das moscas fritas com mel e do macaco grelhado! ;)

Micael Sousa disse...

Melhor é aproveitar para conhecer uma nova cultura. Este ano escolhi o berço do Ocidente: A Grécia. Trata-se de uma viagem ao passado e à história, mas ao mesmo tempo ao presente e ao resultado da crise económica mundial que afectou as economias mais débeis da zona euro.

sem-se-ver disse...

viu o turista acidental do lawrence kasdam?

anouc disse...

sem-se-ver, não. Por acaso ainda não. Hm.. talvez um dia destes. ;)

sem-se-ver disse...

faça isso. genial :-)

Brown Eyes disse...

Depende do que se pretende quando se viaja, né? Há quem pretenda status, ai vai para resort and blá blá mas há quem pretenda conhecer, a fundo, o país, a terra, seja lá o que for, pega na mochila e parte à deriva. Eu como queria apanhar fresquinho, sem gastar muito dinheiro fui de autocaravana, chinelos saia e algumas t-shirts. Quanto à lingua, falo sempre português, vá onde for. Beijinhos

margarida disse...

Viajar é o que uma pessoa quiser. Viajar é ir. Conhecer é comer as moscas com mel. Uma pessoa num resort em Cuba viajou até Cuba, mas não conhece patavina naquilo.
(e o inglês ajuda imenso!)

Bluebluesky disse...

CLAP CLAP CLAP! Subscrevooo!!!

Bluebluesky disse...

CLAP CLAP CLAP! Subscrevooo!!!

Bluebluesky disse...

CLAP CLAP CLAP! Subscrevooo!!!

Elsa disse...

Nem mais, mas que deve saber muita bem estar num Resort de Luxo a fazer Népia tb deve ser bom, mas isso é completamente incompativel comigo!

Miguel disse...

Um bocado de mau feitio puro!

Há quem "viaje" sem sequer sair de casa... Viajar é tanta coisa, inclusive essa coisa da mochila...