quarta-feira, 20 de fevereiro de 2013

Não gostei nadinha

de ver o Relvas a levar safanões e empurrões. Isso não é nada. Não acrescenta nada. Não resolve nada. Tenho a certeza de que se ele lá tivesse ficado tinha apanhado a sério, pois assim é quando as pessoas se descontrolam e perdem o sentido da palavra em detrimento dos gritos e dos empurrões. Pah, querem protestar cantem a Grândola, cantem "Like a Virgin", ou se quiserem protestar mesmo a sério, cantem qualquer coisa da Ana Malhoa. Mas agora aquilo? O que foi aquilo? Bah.

11 comentários:

vera disse...

É o desespero, a falta de esperança e que este desgoverno nos trouxe! Uns gritos são ilegítimos, mas a fome não???? Além disso ele está bem protegido, como qualquer membro do governo (sem pre com cães de guarda que nunca se sabe muito bem se vão atacar ou não).
Que venham muitas mais acções e gritos de revolta como os de ontem!

O Fulano disse...

Cantar Ana malhoa não é protesto. Insere-se na categoria de tortura. ;)

anouc disse...

Vera, faço da violência das acções... não dos gritos.

vera disse...

Não tenho tv, mas segundo as imagens que vi na net, o Relvas só foi empurrado pelos seus seguranças!
Não vi qualquer tipo de violência, com a qual também não concordo, mas que começo a compreender!

O Sexo e a Idade disse...

Eu ia pela Ana Malhoa!

barroca disse...

ainda fiquei à espera que alguém lhe fizesse o "5 point palm" à la kill bill, isso é que era!

(não tenho pena do fulano nem dos da laia dele, afinal estamos a pagar o sermos tão brandos este anos todos, por isso os extremismos são mais do que esperados)

Jo disse...

Uma tristeza! Não gostei nem um pouco também.

grassa disse...

Ana Malhoa? Acho que ele apanhava sífilis pelas orelhas ainda antes mesmo de chegar ao refrão.

Bluebluesky disse...

Que pena ter sido mesmo só um empurrão.

pc disse...

Eu gostei. Foi um acto de higiene mental. Espero mais e mais "amor" deste. Um mimo!

mypreciousl disse...

Também não acho que é por aí que as coisas se resolvem*