quarta-feira, 2 de maio de 2012

Caí de pára-quedas na promoção do Pingo Doce, mas sobrevivi


Eu só queria comprar um pacote de açúcar mascavado. O plano era passar a tarde de feriado na cozinha a fazer caramellinis. Gosto de fazer biscoitos e gosto de caramellinis. 1+1=2. Deviam ser umas 2h da tarde quando lá entrei. Notei um movimento anormal, visto já lá ter estado na véspera de Natal e a afluência não ser nem metade. Havia gente com carrinhos atolados até ao cimo, caixas e sacos no chão cheios de compras e mais compras. Na minha lúcida cabecinha só poderia haver explicação para tamanho espectáculo... tinha sido anunciado um holocausto nuclear e eu, corno como sempre, tinha sido a última a saber, e tudo o que havia na minha dispensa era uma embalagem de ketchup e quatro pacotes de leite.  Vi uma funcionária a repor ervilhas em lata num prateleira, "Ouça lá, mas o que é que se passa aqui hoje?!?", perguntei, enquanto apontava esclarecedoramente para o volume de compras anormais que toda a gente levava. "Ah, é a promoção dos 50%", "Promoção dos quê??". Uma velhota virou-se para mim, e com uma certeza óbvia de quem me estava a dar uma excelente novidade, informa-me com um sorriso rasgado e uma voz cheia de pompa e circunstância, "Oh menina, hoje tudo tem 50% de desconto! A partir dos 100€, está a ver? Se levar 100€, só paga 50€! Entende?" "Mas quê?? TUDO?!?". "Sim menina, tudo!".
Fiz umas aritméticas rápidas e como é óbvio, aproveitei. Saí de lá passada uma hora com as compras do mês feitas (e parte do mês que vem). Sorte a minha que vivo na província, muito longe das massas das grandes cidades, onde as pessoas são menos e mais comedidas. Caso contrário, teria vindo embora.
Não sei qual é o objectivo da Jerónimo Martins, não sei qual é a estratégia comercial, não sei se ganharam, se não ganharam ou se perderam. Mas o fenómeno abriu todos os noticiários da noite. Se queriam publicidade conseguiram-na, mas nem toda com bom tom.
O que eu sei, é que se nos abstrairmos de tudo o que são os bastidores destas evil corperations, esta promoção criou um equilíbrio financeiro a muitas famílias deste país. Mesmo que tenha sido só este mês. Não importa. Se as pessoas levaram coisas de que não precisavam? Não sei. O que sei é que os produtos de marca branca foram os primeiros a desaparecer, o que demonstra que mesmo com 50% de desconto existe a consciência e a necessidade de comprar o mais barato possível. 

nota: se no dia do trabalhador os empregados do PD trabalharam como cães? Trabalharam. Mas também eu passei a manhã a trabalhar. So what? É chato? É. E...?

19 comentários:

Coisas De Miudas disse...

houve em pingo doces que foi demais mesmo, porrada, discuçoes! nem me atrevi a por os pesinhos!

Catarina Reis disse...

Para quem só queria comprar um pacote de açucar... Eu também vivo na província, e já vivi na cidade, por isso reparo bem nas diferenças de comportamento. Não fui e não vou habitualmente às compras ao pingo-doce, costumo ir para a praça comprar legumes e peixe fresco, e vou depois à mercearia do bairro... mas os hipermercados por vezes têm estratégias que esmagam qualquer pequeno comerciante e não temos como resistir. Mas pelo que vi na TV, em alguns lugares foi o fim do mundo. Beijocas

Daniela disse...

Ora nem mais! Eu tinha lido na net no dia anterior que iria haver uma grande promoção. Levantei-me cedinho e às 8h40 estava a entrar no Pingo doce. Saí de lá às 9h15 com as compras do mês todas feitas (à excepção de carne e peixe, que não se podia com tanta gente) e ainda com o que me faltava para a festa de aniversário do meu filho. Aconta dava 128€ e eu paguei 64€. Quando saí já era notória a confusão (uma fila enorme só para ter um carrinho).
Foi uma grande ajuda neste tempo de crise!

João Roque disse...

Agora era um boicote de oito dias ao Pingo Doce, generalizado, em todo o país...

anouc disse...

João... e vai haver, tanto que o pessoal quer lá foi ontem não vai precisar de nada tão depressa. :p

Joel Pinto disse...

Haviam gente???
Já se aprendia a escrever português...

anouc disse...

Oh Joel, lamento imenso a falta de atenção. Tipo... credooo. O.o


Cumprimentos

Filipa disse...

Porra, anouc, nem parece teu. Atina, pá.

anouc disse...

Porra Filipa, se não tenho a tua aprovação então nunca mais repito tal façanha. :|

caracois dourados disse...

A estratégia do pingo doce não foi markting, foi um golpe político (não foi por acaso que o fizeram no 1º de Maio)em que se aproveitaram as dificuldades financeiras dos portugueses para impedir que os trabalhadores comemorassem o seu dia e estivessem presentes nas grandes (sim, porque mesmo com esta mega-promoção que prendeu as pessoas e os trabalhadores nos hipermercados,foram bem grandes)acções de luta que se fizeram por todo o país.
E muito me engano se para o próximo ano isto não vai ser usado para dizer que no 1º de MAio, dia internacional do trabalhador, os hipermercados estiveram cheios e tiveram lucros enormes, por isso em vez de comemorar deve é trabalhar-se nesse dia e deixar passar ao lado uma data tão importante como esta.
Não critico as pessoas que foram lá fazer compras, mas critico quem pressionou os trabalhadores a trabalhar no seu dia e quem os impediu de comemorar o 1º de Maio, não por ser feriado, mas por tudo o que o tornou feriado.

Barroca disse...

epá, eu tb não sabia da promoção e como passei a manhã na caminha, quando passei pelo PD à tarde, já estava fechado e com bófia à porta; aqui no Barreiro um par de pessoas passaram-se da marmita e foi o suf para acabar a festa dos 50%. :D

Isa disse...

Caracóis,

diga-me uma coisa: se lhe propusessem trabalhar um feriado, ganhar a 300%, ter a possibilidade de gozar o feriado e a promoção em questão noutro dia à sua escolha, ia dizer que não?
Quem precisa dele ao final do mês, não olha a feriados.

Dylan disse...

"se lhe propusessem trabalhar um feriado, ganhar a 300%, ter a possibilidade de gozar o feriado e a promoção em questão noutro dia."

Sim, sim, e eu sou o Brad Pitt!...

Isa disse...

Dylan, nesse caso mande uma beijoca à Angie, que é cá das minhas.

(Se disse o que disse, é porque tenho conhecimento de facto.)

Daniela disse...

È verdade. Os funcionários aceitaram trabalhar porque as condições eram boas. Ganharam o que ganharam a 300%, mais uma folga. Só tinham era hora de entrada, não sabiam a que horas podiam sair. E pelo que a funcionária me explicou eles todos os meses têm 4 dias para fazer compras a 50%.

Xuxi disse...

o Joel nao perdoa e um rapaz mto atento...(olha Joel nao tenho acentos ta?)

Brown Eyes disse...

Só soube da promoção quarta feira, onde estive esqueço completamente o noticiário. Compras no fim de semana ou feriados evito. Detesto filas. Espero que tenha sido uma ajuda para todas as famílias mas temo que muita gente comprou o que não precisava. Quanto à promoção feita, igualo-a às que fazem oferecendo um segundo produto na compra de um primeiro, paga um leva dois. Igualzinha mas claro os concorrentes se poderem pegam-lhe. Que tem a ver a ASAE com isto? Nada. Eles conseguiram o que queriam, os funcionários tiveram o melhor ordenado de todos os dias 1 de Maio e o pessoal comprou como há muito não comprava.
Todos satisfeitos. Beijinhos

caracois dourados disse...

Isa,
Pois se foi isso que aconteceu é mais uma prova de que esta promoção foi um ataque! Foi pressionarem os trabalhadores a deixar de comemorar o seu dia aproveitando-se dos baixos rendimentos deles. E se o grupo Jerónimo Martins tem assim dinheiro para fazer promoçoes destas e ainda pagar a 300% aos trabalhadores nesse dia é devido à exploração dos trabalhadores e do povo durante o resto do ano, não penses que é o cú do Jerónimo Martins alapado na cadeira que dá lucro.
Os trabalhadores têm é que se mentalizar que ou defendem os seus direitos lutando contra estes ataques, ou serão sempre comandados pelo grande capital, sendo explorados.

Dylan disse...

Cara Isa,

Se tem "conhecimento do facto",realmente não parece. Aqui lhe transcrevo relatos de funcionários que estiveram dentro do facto:

Ao sindicado chegaram inúmeros relatos de funcionários do grupo que terão sido «ameaçados» com faltas injustificadas caso não fossem trabalhar...Os horários de trabalho têm de ser definidos com 30 dias de antecedência, mas a empresa esteve a ligar aos trabalhadores que estavam de descanso ou de férias, para que fossem trabalhar naquele dia...Já no ano passado, a Jerónimo Martins tinha decidido desrespeitar o Dia do Trabalhador, abrindo portas. Este ano, não só manteve essa atitude, como escolheu esse dia para promover uma campanha...

Acho que sim, acho que cada um de nós devia pelo menos uma vez na vida passar por esta situação, por esta magnífica experiência de ser funcionário do Pingo Doce e então postar, postar com enorme cagança...