terça-feira, 23 de agosto de 2011

Super 8 / Super Boring


A única maneira de incluirem mais clichés num só filme, seria realizar uma comédia romântica em que o bonzão da escola convida a feiinha (que afinal é gira depois de tirar os óculos) para o baile de finalistas, depois de ter sido desafiado pelos amigos.
E eu não percebo, juro que não percebo porque é que este filme foi tão aplaudido pela crítica. Deve ter algo a ver com os meus conhecimentos pré-histórico/rudimentares de cinema...
As parecenças com o E.T. são tantas, que eu achei este argumento o cúmulo da preguiça, do comodismo e do "jogar pelo seguro".
E pronto, mais nada.

8 comentários:

Piston disse...

Isso é assumido. É uma espécie de homenagem ao Spielberg.

Catarina Reis disse...

Concordo contigo, do filme, gostei apenas da expressão do garoto, acho fantástica ao longo do filme as caras que ele faz. Beijos

Elsa disse...

Agora então fiquei Super Curiosa para ver esta Merda! Olá se fiquei!

Barroca disse...

Têm dito maravilhas deste filme, mas não gostei do trailer nem da história, por isso vou passar. E tenho tanta coisinha gira para ver... (estou a falar de filmes, ora pois!) :P

Bípede Falante disse...

Vou ter de ver os ets com esses olhos que a terra há de comer e os clichês hão de cegar :)

Ega disse...

Dificilmente pode ter compreendido o filme, para escrever este comentário.

O Super 8 é um filme que vai directamente ao coração de todos os cinéfilos que foram crianças nos anos oitenta, e sonhavam com o mundo mágico do cinema de aventura de então.

Obviamente que isto não é um Padrinho ou um 2001. Nunca foi esse o objectivo do filme, proceder a uma renovação estética ou ter uma grande narrativa. Este é um filme homenagem a uma certa época e a uma forma de fazer cinema que já não existe (daí os clichés).

E na minha opinião resultou lindamente.

anouc disse...

Compreendo totalmente que este filme fale certeiro ao coração dos cinéfilos dos anos 80... lembrei-me disso várias vezes enquanto assistia.
A questão é que, talvez por eu não ser uma cinéfila dos anos 80, este filme me passou completamente ao lado, e devo acrescentar que fiz um esforço considerável para o ver até ao fim.

pinguim disse...

Se derem nos telecines ainda sou capaz de ver; mas mexer o rabinho para ir ver, não senhor!