terça-feira, 22 de março de 2011

Porque é que tenho as gavetas atoladas de canetas que não escrevem?

 E porque é que ninguém tem a coragem de as mandar fora? Porque é que o facto de a carga de tinta só ir a meio nos impede de as atirar para o lixo, mesmo que nunca tenham escrito nada de jeito desde o primeiro dia? Às vezes já vêm a escrever aos solavancos quando são compradas. E depois temos de andar à procura de uma folha de papel onde possamos fazer círculos frenéticos no canto superior direito até a caneta dar sinal de vida, e com um tom misto de alivio e satisfação dizemos, "pronto, já está a escrever". Mas é só temporário, não é? À segunda frase já parou de escrever outra vez. Molha-se então o bico da caneta com a ponta da língua numa tentativa desesperada de ressuscitação. Mas não dá em nada, e pronto, atira-se outra vez para a gaveta (afinal a carga ainda só vai a meio) e vai-se procurar outra. Existe até a típica frase: "Há por aí alguma caneta que escreva?". Frase essa que pressupõe à priori que a caneta tem 80% de hipóteses de não escrever. É bem capaz de existir uma conspiração das fábricas de canetas. Fazem aquela porra secar a meio. Bestas.
E depois há a canetas fixes. As canetas giras. As canetas de marca. Essas não se mandam fora nunca porque APENAS precisam de uma carga nova. "Ah, essa caneta é mesmo boa.. só precisa de uma carga nova", dizemos. Mas nunca ninguém compra cargas novas pois não? E as canetas para lá ficam nas gavetas, não é? Poizé.
Chateia-me isto das canetas. Mesmo.

nota: já para não falar das canetas brancas simples que têm uma tampa verde ou vermelha. E uma pessoa vai e "porreiro, esta escreve verde", e vai-se a ver a tampa verde ou vermelha não passa de decoração, porque a caneta simplesmente escreve azul. "Oh fºda-se! Isto escreve azul!".  Isto das canetas chateia pá. O tempo que se perde... Chateia. Bah

23 comentários:

ROSINHA (tilida5ever design) disse...

Boa pergunta!

Salvador disse...

Boa noite, Anouc ))

Sabe, também tenho as minhas
'porras' com canetas. E isqueiros.
Sempre que peço um objecto destes emprestado, não o devolvo a menos que seja chamado à atenção.
Serei cleptomaníano? rsrsr

Cisma♥ disse...

hahah muit bom, já pensei exactamente no mesmo xD

Papoila disse...

Eu tenho canecas antigas da EDP cheias delas no sótão.

luisa disse...

Para além dos círculos frenéticos no papel também há a versão riscos frenéticos na sola do sapato ...:)

iPlagiator disse...

isso é daquelas coisas que ainda não se me tinha ocorrido para falar no meu espaço bloguistico..

Mas acho que quando queremos escrever e a caneta não escreve piço e frase mais acertada é: "arranja-me uma caneta que escreva"

e por alguma razão existem inúmeras canetas em casa que fazem tudo menos escrever, e no entanto não se deitam fora

..deve ser na esperança falaciosamente milagrosa que um dia voltem a dar por obra do espírito santo

Anónimo disse...

... olha filha, os lápis escrevem sempre ...

Lima e Tequilla disse...

Comigo é a mesma coisa...em 20 canetas que tenho no meu quarto cerca de 3 escrevem bem...mas eu realmente compro cargas para as canetas. Vá, comprei 2 cargas há uns 3 anos. Mas comprei! =)

Pedro Coimbra disse...

A minha mulher, em ocasioões diferentes, ofereceu-me uma caneta Montblanc e uma outra Dupont.
Estão quietinhas (acho eu porque não as tenho "visitado"!!) na mesma gaveta onde foram colocadas no primeiro dia.
Entretanto, vou escrevendo com aquelas esferográficas extraordinárias que se compram nas lojas de 10 patacas (90 cêntimos, mais ou menos).
As quais, quando acaba a tinta, vão direitinhas para o caixote do lixo ao meu lado esquerdo.
Para reciclar que eu sou um gajo amigo do ambiente. :))

€%$@ disse...

Como é que é possível só escreveres milhentos caracteres sobre um tema tão complexo e tão profundo como este? Comooooo? És tão redutora, tão simplista, tão básica.

Anónimo disse...

escreve a carvão, não falha...

Stiletto disse...

usa um lápis...

Laura Ferreira disse...

Como eu te percebo. Eu tenho uma para canetas, outra para lápis e outra para borrachas e afias!

Lazy Cat disse...

Olha que eu tenho canetas que ficaram esquecidas em estojos do tempo da escola, que ainda escrevem! Mas como tenho outras a uso, essas continuam guardadas... à espera de secar. lol

Também tenho muitas que não escrevem, claro.
Há tempos comprei uma Bic, porque as Bic são boas e tal. Pois, pelos vistos, eram! Chegou a meio começou a falhar. Bah. Comprei uma Uniball, pronto. Essas ao menos não falham.

Petra Pink disse...

Não uso canetas.... loolll.

Vitor disse...

Um dia faremos umas trocas,sempre será diferente...é que tenho umas dúzias nesse estado.

Bj*

Brown Eyes disse...

Nunca comprei uma caneta, tenho muitas mas que me deram. Daquelas que têm feitios giros, diferentes mas que quando deixam de escrever, se eu der conta, vão para o lixo. Pouco escrevo em casa com a caneta, muito pouco. Na carteira anda duas que são também lanternas. Dão-me um jeitão, alumiam-me. Beijinhos

Elsa disse...

Eh Pah é que agora acertaste mesmo na Coisa, tenho uma gaveta como essa lá em casa e também não percebo o porquê da existência daquela gaveta...

Anónimo disse...

Eu ja tenho uma caneta de tinta invizivel, mas nunca sei quando acabou a tinta...e f.......

pinguim disse...

Nunca comprei uma caneta; elas multiplicam-se miraculosamente pela casa fora...

LOUVA A GREVE PERMANENTE EM DEUS disse...

é simples é uma questão de fé

a caneta é uma arma

não s'atira fora para nã desarmar

e nunca se sabe pode ser que um dia

morski pas disse...

Ora como te percebo. Tal como eu carregada de isqueiros que não funcionam (Incluindo os de cozinha) :S
Gostei do Blog ;)

Bigodes de Nata disse...

Boa noite.
Desmanchei-me a rir... Não sei se foi por me ter identificado com isto ou se me deu um amok neste preciso momento... Mas a verdade é que me fez rir às gargalhadas que até o meu marido perguntou quem é que me estava a fazer cócegas...
Beijinhos.