quarta-feira, 1 de setembro de 2010

Desgastes

 Os meus pais são infinitamente infelizes juntos.
Ouço as lamurias de ambos, um de cada vez. É cansativo para mim isto. Só lamurias, só lamurias... rara foi uma palavra agradável saída da boca de um em relação ao outro. Vivem num campo de batalha em que apenas não há violência física. A outra está lá toda. Antes dessem uns pontapés um no outro de vez em quando. Sempre libertavam alguma da raiva. Cansa-me as suas vidas de faz de conta. 
Nunca é tarde para nos apaixonarmos, nunca é tarde para nos juntarmos, nunca é tarde para nos casarmos, mas principalmente, nunca é tarde para nos divorciarmos. Já lhes disse isso mesmo. "Divorciem-se!", disse. "Mas porque é que não se divorciam?!?", disse. Mas eles continuam. Habituaram-se à distancia de sentimentos e às guerrilhas domésticas. Habituaram-se à infelicidade estúpida. Habituaram-se a moer-me a cabeça como escape. Ou talvez apenas saibam que ainda vão ser mais infelizes separados que juntos. É assim para quem já não sabe ou nunca soube viver de outra forma.
Contam-me as mesmas histórias de ângulos completamente diferentes... tentam que eu tome partidos. Não o faço. Nenhum tem a total razão em nada. Cansam-me tanto os meus pais... Ontem ouvi um durante uma hora, hoje ouvi outro durante uma hora. "Sabes lá o que é viver com aquela mulher!", diz o meu pai. "Sabes lá o que é viver com aquele homem!" diz a minha mãe. "E sabes o que é que ele me disse?!? Sabes? Aaaah, isso não te contou ele! Só conta o que lhe convém! Aaaaah!". "É impossível viver com aquela mulher! Impossível! Dá com um homem e doido! Sabes o que é que ela me disse? Sabes?"...
Tenho pena dos dois. Estão ambos velhos e desgastados. Amargurados.
Cansam-me tanto os meus pais. 

imagem de beetleman


Aproveitado para Fábrica de Letras

29 comentários:

Nês disse...

Isso é triste, os meus por vezes também têm umas zangas mas nada de mais...

Fi disse...

E a outra violência é bem pior do que a física... Bem pior mesmo! O ser humano é um bicho de hábitos, habituaram-se assime assim continuam.

Chisca disse...

A lágrimita espreitou... pk lá em casa é exactamente igual... Muah

meldevespas disse...

Isto das relações é uma coisa dificil de comentar e avaliar. Np entanto retive uma frase que a dado momento escreves: "Ou talvez apenas saibam que ainda vão ser mais infelizes separados que juntos". A vida desgasta-nos a todos, não tenhamos ilusões acerca disso.

pinguim disse...

Será que se habituaram a não gostar um do outro?
Fazes bem em os criticar a ambos e anão tomar partido.

Lazy Cat disse...

Acho que as pessoas têm um medo estúpido da solidão. De facto a solidão é assustadora. Mas solidão é diferente de estar/viver sozinho. E as pessoas não entendem isso. E agarram-se uns aos outros, desesperados, e não largam, mesmo quando não se suportam.

Faz falta a muita gente aprender a estar consigo mesmo e a ser auto-suficiente, pelo menos a nível emocional.

Tulipa disse...

É a realidade. Acredito que se for realmente, mas realmente, realmente mau, acabam por mudar. Cada um tem o seu tempo e a sua forma de viver a infelicidade.

Poetic GIRL disse...

Essa situação é por deveras triste. São ambos infelizes, nenhum deles tem coragem de tomar uma atitude. Lamento porque acaba por te causar mal estar e sofrimento a ti, estás no meio de uma batalha que não pedis-te para estar. Há pessoas que preferem viver em sofrimento do que admitir que fracassaram, então nos casamentos.... bjs

SofiaCosta disse...

é muito dificil ver os nossos pais a divorciarem-sefalopor experiencia propria. mas acredito que seja muito pior viver num ambiente assim...

Helena disse...

Anouc, vou falar fora de brincadeiras agora.
A vida dos meus pais era bem parecida a essa que descreves. Muitas vezes perguntei porque não se separavam. Lembro-me duma altura da vida em que acontecia todos os dias eu e a minha irmã agarradas uma à outra a gritar e a chorar encolhidas num canto da sala. No final de todos os anos a minha mãe dizia que "a partir do dia 1" tudo vai mudar. E muito mais factos que nem vale a pena mencionar. Daí, talvez a minha revolta que sempre tive dos meus pais, porque não me davam uma vida dita normal. Mas só quando a minha mãe adoeceu (e acabou por falecer) é que percebi o quanto eles gostavam um do outro. Era uma maneira diferente de gostar. Uma maneira estranha! Mas hoje ninguém tem dúvidas que se gostavam :D
Por isso, o melhor conselho que tenho a dar é não te meteres no assunto e abstraires-te.

Gonçalves, o abonado disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Descalça disse...

Não sei se os teus pais estão reformados, mas quando os dois se reformam a situação piora. Ainda esta semana esse tema foi conversa de familia porque uns tios meus, que se davam razoavelmente, agora quase não se falam e quando o fazem é apenas para discutir.
Há tempos li uma crónica do António Lobo Antunes sobre o problema dos domingos: o tempo livre acentua as diferenças e não nos oferece alternativas. Quando se tem o tempo livre e a outra pessoa nos entedia ou nos irrita, por qualquer razão, deve ser dramático.

Fresco_e_Fofo disse...

Todos temos as nossas manias. É preciso é que o casamento seja uma união onde caibam as manias de cada um e a tolerância de cada um.
E por vezes picamo-nos a colher uma rosa.

AR disse...

Muitas vezes as pessoas apenas têm medo de sair da sua zona de conforto e arriscar,
vou seguir.

Denise disse...

também já pensei em dizer isso aos meus pais.
Felizmente que passo 10 meses fora de casa! Felizmente!

Brown Eyes disse...

ANOUC há pessoas que se habituaram a viver de aparências, a viver para os outros. O divórcio só há pouco tempo é que é encarado como uma solução mas, para nós, pessoas mais jovens, pessoas que acham que ser felizes é mais importante que tudo. Depois eles também não sabem viver sozinhos, estão apoiados, há anos, um no outro,por isso, apesar de tanta guerra preferem tê-la do que não saber que fazer à vida. É difícil estares no meio dos dois e não poder apoiar nenhum porque a verdade é que nenhum tem a razão totalmente. Nem todos querem encarar a verdade, há quem fuja dela e eles é o que acabam por fazer, acomodaram-se e querem continuar assim. Quantas vezes nós também nos acomodamos? Eu faço-o muitas vezes, não durante muito tempo mas faço-o até que chega o dia em que o copo transborda. Chatices todos queremos evitar mas nem sempre podemos. Tem paciência, precisas. Eles estão cansados da rotina mas também não a querem mudar.Beijinhos

B disse...

Olá... vim aqui parar através da Fábrica de Letras.
Este texto tem tudo para ter sido escrito por mim num passado não muito longínquo. Eles divorciaram-se há cerca de 4 anos. Hoje vivo em paz mas sobressalto-me quando uma porta bate ou ouço alguém aos berros.
É bom perceber que há tanta gente que vive o mesmo. Somos muitos, podemos fazer barulho, se nos revoltarmos!!!

Dora disse...

Os meus pais separaram-se tinha eu 8 anos. Não sei como estiveram juntos 9 anos. Eu acho que não tem nada a ver um com o outro.

Cat disse...

Anouc, tens toda a razão.
Mas olha que quando ao fim de 40 anos alguém descobre que não é feliz ali, mas o faz da forma menos simpática possível, o filho que fica ali no meio só se sente apanhado à má fila, como se lhe tivessem rebentado a cara com um valente pontapé.

Mas somos todos adultos e civilizados, vai fazer-se o quê? Limpar o sangue e massajar o maxilar. E pronto.

Anne disse...

os meus pais, após 25 anos de casados, onde havia maus tratos e violência de parte a parte, perceberam finalmente que os dois juntos não funciona. Mas não sem antes me envolverem e ao meu irmão o mais possível e nos fazerem sofrer horrores com todos os seus actos...

Dark angel disse...

És tu e eu. Mas juro-te, a sensação que tenho é que a relação deles vai acabar em tragédia, e eu na plateia, sem poder fazer nada, porque vai ser de repente. Aquela Put@ daquela mentalidade de " ai, o divórcio é pecado", e não é pecado deixarem-me completamente angustiada e preocupada?? Fónix, às vezes os pais esquecem-se que já foram filhos...

Natália Augusto disse...

Há casais assim. Vivem uma vida que mais parece um infrno e infernizam a dos que estão perto mas... não e separam.
As zangas, as discussões tornaram-se rotinas nas suas vidas, na relação e, ainda assim, não conseguem viver um sem o outro, por puro medo. Medo da solidão, medo que uma doença os atraiçoe, medo do medo de não serem mais um casal.


Bjs

Sandra disse...

Parabéns pelo tema livre. Escrever nos inspira a voar pela imagnação.
Amo escrever. Por isso meu tema é Vida de Poeta.
Interação de amigos também está participando. Vou te esperar por lá.
http://sandrarandrade7.blogspot.com
este é um momento onde todos trocam experiências.As coletivas aproximam as pessoas.
Carinhosamente,
Sandra

chu disse...

Era bom que o divórcio resolvesse isso! Mas, não! Nem sempre resolve.
No fundo, creio que se amam, só precisam de um pouco de ajuda (profissional?) para ultrapassar as divergências.
Já lhes colocaste a hipótese de visitar um terapeuta?

E não queiras que comecem com a violência física, não adiantaria nada. E não penses, como muitos pensam, que a violência psicológica é pior do que a física, pois na física existem as duas. As pessoas tendem a esquecer este "pequeno detalhe".

Beijinhos e muita paciência. Tem calma. Vê as coisas por esta perspectiva: eles também aturaram as tuas birras, as tuas dores, doenças e mau-humor. E aposto em como trocaram-te muitas fraldas com cheiro horrendo... :)))

Hyndra disse...

Bem... há pessoas que nem param para pensar que podem ser felizes a qualquer momento e de um momento para o outro mudar a sua vida, basta fazerem por isso.

Por eles não podes fazer nada, eles é que sabem como querem viver/desperdiçar a sua vida. Faz por ti, trata de ser feliz e de os tomar como exemplo para fazeres exactamente o contrário daquilo que eles estão a fazer.

sem-se-ver disse...

lamento. mesmo.

Lala disse...

por isso é que eu não tenho pais.

Elsa disse...

Agora isso é Triste e Coitadinha de Ti que tens que gramar com isso...na minha casa é fartura de Garreia, mas é daquelas coisas em que é preciso dizer e pronto
depois cai o Carmo e a Trindade e pronto já está...agora assim...UI!

Miguel disse...

Bem escrito!
Gostei mas é uma pena haver vidas assim... Não entendo porque as pessoas acabam quase sempre dando o pior que há em si...