sexta-feira, 19 de abril de 2013

Os E.U.A. não são exemplo em praticamente nada

mas um dos assassinos de Boston foi alvejado e morto durante uma perseguição sem qualquer tipo de parcimónia. Se fosse cá, o policia responsável seria alvo de um processo disciplinar, acusado de homicídio e ficava com a carreira suspensa. Magnífico, não é? Pois...

6 comentários:

vera disse...

Era um suspeito.

Jo disse...

Pois... porque também não somos exemplo em (praticamente) nada.

Manuel disse...

Magnífico ele ter morrido, concordo, mas foi o pior que podia ter acontecido.

Nestes casos, quando um elemento "terrorista" (o termo não está a ser utilizado correctamente) é identificado, tudo deve ser feito para o capturar com vida, para tentar saber mais dados acerca de possíveis actos futuros, de possíveis células.

Os Americanos são uns grunhos brutamontes que só sabem disparar para sítios vitais.

Até o poderiam matar depois, mas antes deveriam tê-lo interrogado com recursos vários.

Petra disse...

Em Portugal fazem-se festinhas aos criminosos e bibibibibi.

Eu é mais bolos disse...

E ainda tinha que pagar as balas que gastou! (isto é verídico, os agentes da psp e gnr têm armas, mas as balas são do seu bolso)

S* disse...

É complicado. Cá não deixam os polícias ser polícias.